O Canadá me Quer

"...A quem enviarei, e quem há de ir por nós? Então, disse eu: eis-me aqui, envia-me a mim." Isaías 6:8

O Fantástico mundo de Lana sexta-feira, março 19, 2010

Eu gosto muito de ver desenho animado, sempre gostei. E olhando a Lana brincar me lembrei do " O Fantástico mundo de Bob". Bob é um garotinho de uns 4 anos que entende tudo de forma literal e tem uma super imaginação. Essa é a atual fase da Lana a da "super imaginação".

Ela imagina coisas, da nomes que ela inventa, fala no telefone de mentira e tem até um amigo imaginário, que nem é tão imaginário assim, porque ela escolheu o Natan pra ser seu amigo imaginário e ele é real. E é o mesmo Natan porque tem hora que os pais dele entram na brincadeira também, não como amigos imaginários, mas como parte do assunto deles. E é engraçada a escolha porque eles nem se encontram tanto.

Isso me preocupou um pouco no inicio e fui pesquisar. Descobrir que três em cada dez crianças entre três e cinco anos criam um amigo imaginário ou invisível. Ele pode surgir de dois modos: amigo invisível ou objetos personificados como cobertor, fralda, chupeta, entre outros (com os quais as crianças interagem dando-lhes vida, como se fossem de verdade). Ela nunca grudou em nada, exceto na chegada aqui que ela grudou em uma boneca que a maioria dos brasileiros aqui conhecem, a famosa Tátá, depois ela deixou a Tátá em casa pra levar o Natan imaginário pra todo lugar.

Li também que na maioria dos casos, essa reação pode ser desencadeada por mudanças de hábitos ou situações de estresse e ansiedade, que acabam transformando a rotina da criança, entre elas, separação de entes queridos e MUDANÇA. Sem pânico, é um habito saudável e é um mecanismo de defesa desenvolvido por crianças sensíveis e inteligentes, o que ela realmente é. Ao contrario do que alguns pensam não tem a ver com solidão ou com ser filho único e só deve preocupar se passar dos limites, um deles é a idade, o normal é até os 5 anos e meio.

Tenho notado que ele brinca geralmente em inglês e sonha em inglês também ( as vezes ela fala dormindo), apesar de preferir falar português e ver dvds em português, o fato de brincar com crianças na escola ou na igreja que falam inglês fez com que na hora de brincar mesmo sendo com crianças que falam português, as palavras saiam em inglês. Exceto com o Natan imaginário, com ele ela conversa mais em português.

Essa semana fomos a um parquinho perto de casa e lá tem dois escorregadores com uma estrutura grande e até banquinho na parte de cima, um é pra crianças pequenas o outro pra maiores (eu já escorreguei lá varias vezes). Ela fala que são seus castelos. Quando estávamos lá brincando em um dos "seus castelos" ela me falou que tinha um telefone lá, imaginário claro, e começou a falar com alguém no telefone, logo em seguida fomos pro "outro castelo".
Minutos depois Lana olha pro seu "castelo menor" e uma senhora está lá com uma criança sentada no banco onde fica o telefone imaginário dela. Ela correu lá e informou pra mulher que aquele era o seu castelo e que a Senhora estava sentada no telefone dela. A mulher uma avó no parque com a netinha achou o máximo e se levantou rapidamente pedindo desculpas. Lana pega o "telefone" e informa pra mulher que está tudo bem, o telefone não quebrou (tudo em inglês Claro). A mulher continua o papo: Se esse é o seu castelo presumo que você seja uma princesa... e por aí vai

É engraçado como quem não tá ligado na questão imaginativa da criança se perde no meio dos diálogos e não entende nada que ela está falando. Eu sempre brinco que ela é compositora também, porque ela consegue manter um dialogo inteiro comigo cantando. E é claro que eu dou corda e respondo cantando também porque me divirto e muito com a imaginação dela, só não pode rir dela, porque ela fica muito brava.

Ela tem um triciclo igual o do Bob...

9 comentários:

Blog - util.necessario - Ana disse...

Indepedente do seu post eu preciso fazer uma confissão.....
Toda vez que leio o nome do seu blog, "O Canadá me quer", eu que não conheço penso.
A mim também, a mim também......
Bjs,

Fabiana Ferlin disse...

Nossa, dei risada com a história do telefone imaginário! Que fofa! Criança é um barato mesmo!

Beijos,
Fabi

Mariane, Richard e Ricardo disse...

Que graça sua filhinha!! meu pequeno é igual, sempre fico ouvindo ele conversar no quartinho dele com os brinquedos, com os animaizinhos, acho um barato! mas é normal mesmo, lendo seu post lembrei da Lola do desenho Charlie e Lola, ela tem o amiguinho imaginário Soren Laurence, isso é até saudável para eles! abços, mariane

César, Valéria, Lara e Anaclara disse...

Eu adorava esse desenho. Muito legal. E que graça sua filhota. Hehehe.

E a vida segue...

Sua vontade disse...

Essa sapequinha...!Sou fa das historias dela.


Bjim pra Laninha, Neuzinha

paodequeijocongelado disse...

A Lana tem uma imaginação e tanto... Adorei ela falando que já é grande!
E ela corrigindo meu inglês? hehehe...fofa demais!

Bjoo
Camila

Ursos no Canadá disse...

Oie!!


Estamos em Vancouver!

http://ursosnocanada.blogspot.com

Chocólatra disse...

Simone,

Na verdade o motivo financeiro da cesárea é um dos menores dentre os que citei pois a deferença não é tão grande assim, tb achava que era "all about money" mas depois vi que é muito mais profundo...é cultural! Vê se adere ao normal tb hein! falando nisso, qdo vem o rebento??
bjo gde

Gleydson disse...

O pior é não rir! Rerererere... Acho que se acontecer a mesma coisa com o Liam, ele vai me odiar! :-)))

Beijos!